will you marry me?

Casais, tudo bom?

Hoje temos o pedido do casal daquele noivado liiindo de ontem. Espero que gostem!

“Eu e o Gabriel, meu noivo, nos conhecemos em um jogo da copa das confederações. Uma amiga minha estava namorando o sócio dele, e resolveu nos apresentar pois tínhamos muita coisa em comum, entre elas a paixão pela corrida e esportes em geral. Ela me convenceu a ir nesse evento para assistir o jogo (um blind date no mínimo exótico) e me apresentou ele. Na hora que o conheci percebi que ele era uma pessoa muito especial, e já se passaram 3 anos e desde aquele dia – nunca mais nos separamos. Nossas famílias são super parecidas, e logo estávamos namorando.
O assunto casamento era recorrente, pois nos dávamos muito bem e sabíamos que um dia, nos casaríamos. Minha mãe (um ser humano “pouco” ansioso, como poderão ver ao longo da estória) sempre deu uma pressionada no Gabriel, mas ele sempre levou numa boa – dávamos risada.
Quem me conhece sabe que eu AMO aniversário – comemoro antes, depois, durante.. Meus pais moram fora do país, e o Gabriel sabe como sinto falta deles e me levou pra comemorar meu aniversário de 26 anos, em março, em Madrid com minha família.
Eu já estava super empolgada com a viagem quando chegamos na capital espanhola, e ao chegar na casa dos meus pais fui desarrumar minha mala e me arrumar pro jantar que havíamos marcado em um restaurante que eu adoro.
O Gabriel já estava com o anel guardado desde o ano passado (este é um capítulo a parte, que me aprofundo mais pra frente rsrs) mas estava esperando a melhor oportunidade, e resolveu que seria naquele aniversário.
Ele aproveitou que eu estava no quarto arrumando tudo, e chamou meus pais pra conversar na sala. Ele estava tão nervoso, que minha mãe me contou depois que achou que ele ia terminar o relacionamento e ir embora naquela noite, mas na verdade ele só queria pedir minha mão aos meus pais. Ele é ótimo pra fazer discursos, e claro que meus pais se emocionaram na hora.
Quando sai do banho e fui encontrá-los na sala, estava um clima super estranho, mas não desconfiei de nada.
Jantamos e no dia seguinte decidimos viajar para Bardenas, o único deserto da Europa, que fica no caminho entre Madrid e Barcelona. Eu tinha descoberto um hotel super cool lá, chamado Aire de Bardenas, que queria visitar faz tempo e resolvemos passar 2 dias lá e comemorar o dia do meu aniversário em uma vinícola da região.
Chegando no hotel, era tudo incrível e paisagens de tirar o fôlego. Os quartos são “bolhas” no deserto, e você tem uma vista das estrelas surreal. Fomos para o quarto e o Gabriel disse que iria até a recepção resolver algo, enquanto fiquei no quarto. Ele foi tentar organizar com o pessoal do hotel pra colocarem flores, champagne etc no dia seguinte, quando ele iria me pedir em casamento. Como o hotel é no “meio do nada”, eles não tinham nada pra ajudá-lo e ele cogitou que talvez não rolasse me pedir naquele momento, mas dai desencantou e resolveu se virar com o quê ele tinha disponível.
Ele sabe que eu odeio tudo que é mainstream, então é sempre um desafio de criatividade me surpreender – sempre menos é mais, na minha opinião. Eu não tinha aquele sonho de ser pedida em casamento em um helicóptero, sobrevoando o mar Egeu, com pétalas de rosa caindo.. esse é zero meu perfil.
Então chegou o grande dia – sim meu aniversário rs. Passamos um dia incrível, fizemos hiking no deserto, fomos na bodega mais bacana da região – com direto a degustação de diversos rótulos locais. No fim do dia, havíamos marcado um jantar no restaurante do hotel, que tinha um menu degustação super bacana, direto da horta orgânica deles.
O Gabriel passou o dia falando que não tinha comprado um presente pra mim, e dado a importância que eu dou pra data, eu estava um pouco chateada. Quando chegamos da odisséia que foi meu dia, ele foi tomar banho pra jantarmos, enquanto eu respondia as mensagens de feliz aniversário que minhas amigas tinham me mandado durante o dia – fiz um detox, e fiquei sem o celular durante o dia, dado que trabalho com mídias sociais etc, e queria aproveitar pra relaxar mesmo.
Achei estranho porque ele tomou um banho tão quente, que o quarto virou uma sauna e tudo ficou embaçado – ele sempre toma banho frio. De qualquer maneira, quando ele terminou, eu fui tomar meu banho. Enquanto isso, ele colocou uma música da nossa banda preferida e aproveitou a janela embaçada (foi tudo calculado, pessoal! rs) pra escrever “quer casar comigo?”. Quando sai e me troquei, nem reparei no quarto, janela.. nada! Fui direto pro closet.. e ele veio atras e resolveu falar que tinha sim comprado uma lembrancinha pra mim, mas que ela estava lá fora – e começou a apontar pra janela. Eu não estava entendendo nada, e fui até a janela e fiquei procurando lá fora, no deserto escuro, o quê poderia ser meu presente (um pônei fluorescente?). Ele estava indignado que eu não enxergava, mas eu juro que embaçou de novo e estava complicada a leitura rs. Quando me toquei que aquilo era um pedido de casamento fiquei muda e ele falou: Esse é seu presente, quer casar comigo? Eu falei: Claro amor, uma dia vamos nos casar! E Ele: Não um dia, agora! – e abriu uma caixinha com o anel.
Bom o anel é um capítulo a parte, porque eu sempre falei pra ele não queria um solitário, não queria nada que chamasse atenção demais e eu não pudesse usar no dia-a-dia, queria algo único e com significado… fácil né? Mas ele se superou, e desenhou meu anel a partir de uma referência vintage que eu amava da De Beers. Um amigo dele, que a mãe é joalheira, o ajudou e ele participou desde a escolha da pedra, até a lapidação, montagem. Realmente quando vi o anel, era perfeito e fiquei muito emocionada que ele tivesse se dedicado tanto e pensado em todos os detalhes.
Foi um momento muito especial, falamos como nos amávamos, como queríamos construir nossa família a partir dos princípios que nossos pais nos ensinaram etc. Saímos do quarto e fui dividir a notícias com meus pais, que já estavam surtando de ansiedade. Fomos jantar e comemoramos a noite toda, foi incrível! Na mesma noite, minha mãe ja planejou todo o noivado – definiu quem seriam as daminhas e pajens, alguns fornecedores que ela adora… se dependesse dela tudo aconteceria no próximo mês, mas resolvemos que casaríamos no inverno de 2017 – eu e meu noivo adoramos o frio.
index
index3
index4
index5
Gostaram?
Say I Do.

Comente este Post

O seu endereço de e-mail não será publicado.