Editorial: Decoração de casamento para a chegada da Primavera

Casais, tudo bem?
Recebi esse ensaio lindo clicado pela Maíra Preto em homenagem a chegada da Primavera. Não é um casamento de verdade, mas poderia ser.

Tem até noiva fictícia com direito a história de amor com final feliz. Vem ver:

Mariana Cury, 27, personagem fictícia de nossa produção casou e vai detalhar sua experiência, suas escolhas, seus fornecedores e o local, todos esses reais que abrilhantaram a nossa incrível produção Spring Fever

“Conheci o Pedro, meu noivo, em uma viagem à Europa uns seis anos atrás. Eu estava de férias juntamente com minha melhor amiga, a Bia. Foi uma das melhores experiências que tive ao conhecer locais maravilhosos na Itália e na Espanha, mas foi em Portugal que conheci o grande amor de minha vida.

Pedro apareceu quando precisávamos de uma informação sobre a incrível Lisboa e sua simpatia foi tão grande que quando nos demos por conta ele estava nos acompanhando nos locais turísticos e mostrando-nos o melhor da cidade com entusiasmo e uma inesquecível visão de quem mora naquele lugar.

Após um dia maravilhoso combinamos um jantar e Pedro timidamente confessou-nos um interesse em casar em um lugar lindo, diferente e cheio de história. Curiosamente sua descrição parecia muito com tudo aquilo que eu imaginava em meu casamento. Após aquela noite eu, Bia e Pedro havíamos combinado mais um encontro antes de retornarmos de viagem para nos despedirmos. Bia este dia não pode ir, disse que não estava se sentindo muito bem. No fundo uma forcinha de amiga para um encontro mais romântico e eu fui. Pedro confessou sua admiração por mim. Em pouco tempo começamos a namorar, apesar da distância

Quando retornei ao Brasil, mais precisamente no interior, onde moro, pesquisei o local que sonhamos juntos. Por algum motivo especial eu havia me lembrado que estava em minha memória uma breve recordação e a sensação de ter estado lá.

Foram muitos meses de namoro a distância e mais duas viagens a Portugal e ele veio uma vez ao Brasil. Nosso relacionamento foi se intensificando e nosso sonho estava se concretizando em nossas mentes. Ele me pediu em casamento na última vez que visitei o país lusitano, eu aceitei, mas senti a responsabilidade de realizar nosso sonho mais secreto.

Fiz um intenso tour na minha cidade, visitei todos os espaços de eventos. Foi quando descobri o Espaço Monte Alegre, em Piracicaba, SP. Aquele local me encantou, imponentes ruínas contrastavam com um extenso gramado infinito onde pude escolher cada detalhe de meu casamento. Comecei com o casamento civil. Convidei meus familiares mais próximos e claro, meu noivo. Sentaram-se a mesa minha mãe Vera, meu pai Joaquim, meus avós Eleonora e Pascoal e meus primos Jorge, Valéria e Antônio. Foi uma tarde maravilhosa de primavera onde as plantas exalavam seu perfume por toda a parte. Havia no centro do gramado uma mesa impecável totalmente idealizada pelos decoradores Telma Hayashi e Fábio Borgatto. Um maravilhoso lustre de cristal da Casamarela Antiguidades era a glamourosa peça central. Utilizei minha louça Mariefleur da Villeroy & Boch , recém ganha dos Presentes Mickey que combinavam perfeitamente com os talheres antigos da família.

Minha avó Eleonora havia me contado neste mesmo dia sobre seu casamento e isso começou a inspirar o meu. Imaginei um altar perto das ruínas com flores em tons variantes de rosa e um bolo que fizesse menção ao famoso “something blue”. Sim, eu quis um lindo bolo azul no meu grande dia.

Optamos por uma grande mesa comunitária para nossas famílias, mais acolhedora, todos puderam interagir apreciando as paisagens do entorno. Eu e os decoradores idealizamos uma mesa atemporal que tivessem detalhes antigos e ao mesmo tempo não fossem pesados como se exigiam na época dos eventos mais formais de outrora.

Na mesa chamava a atenção a impecável toalha de renda renascença da Mesa Linho detalhe que despertou interesse especial dos parentes portugueses do Pedro.

O aparelho de jantar Rosenthal da Casa das Festas deu um ar bastante clássico ao nosso romântico cenário. As cadeiras de ferro e as charmosas poltronas nas cabeceiras deram uma elegância a parte e foram escolhidas na Ambienta Móveis.

Para dar um frescor de primavera as frutas que decoravam e ao mesmo tempo serviram os convidados foram amoras, framboesas, mirtilos e figos. As flores seguiram nas tonalidades variantes de rosa e junto ao arranjo central foram colocadas velas que deram mais altura e serviram para iluminar um pouco mais a mesa no final do entardecer.

Nossa família recorda os bons momentos que tivemos naquele ambiente, pois de fato criamos uma atmosfera atemporal e podemos recordar esses momentos toda vez que conferimos a fotografia da Maíra Preto e o filme do Fábio Paulino.

No cardápio dos convidados escolhi o Buffet Vivi Barros que sugeriu duas opções; um linguado ao molho de pupunha com farofa de banana da terra e também um filet com molho roti, rolinhos de aspargos com presunto cru e purê de mandioquinha que estavam uma delícia! 

O bolo da Piece of Cake foi uma sensação a parte, por mais que eu pudesse imaginar um lindo bolo azul os detalhes da renda no entorno e as incríveis flores de açúcar nos mesmos tons da decoração fizeram toda a diferença.

 Nossa mesa de doces, bastante elogiada, teve alguns detalhes como macarons da May Macarons, forminhas de doce em tecido da Celebrity Forminhas. As peças foram locadas na Ella Arts lugar onde encontrei diversas das referências da festa.

A identidade visual com toda estética primaveril fez uma ligação perfeita de todo o conceito que pensamos. A Ninguém Mais Tem não poupou a criatividade e as referências para desenvolver os convites, menus, artes das estampas das Havaianas que foram feitas pela Gift Chic“. 

 

 

Gostaram?

Beijos,

Say I Do

Comente este Post

O seu endereço de e-mail não será publicado.