Will you marry me?

“Bem, eu e o meu “NOIVO” estudamos juntos quando ainda éramos crianças. Tínhamos pouquíssimo ou quase nenhum contato, mas nos conhecíamos e isso era suficiente para que fossemos amigos de “Facebook”. Nunca nos falamos. Eu namorei durante 7 anos, ele se mudou para uma cidade do interior quando ainda éramos adolescentes, depois passou na faculdade e foi morar no Rio de Janeiro, eu continuei em São Paulo e a vida se encarregou de dar rumos completamente diferentes a ambos. Essa história não estaria sendo contada, no entanto, não fosse um detalhe: “O” Facebook. Meu namoro de 7 anos acabou, o Facebook fez questão de espalhar a notícia para todos e ele, que nunca havia trocado sequer uma palavra comigo, resolveu mandar um Inbox.

Aquela conversa sem pé nem cabeça, com pouco assunto e nada interesse foi rendendo e ganhando forma. 2 meses depois, ele me disse que viria para São Paulo e combinamos de nos encontrar. Quando o vi, tremi. O coração acelerou, as mãos começaram a suar, eu não sabia a razão. Conversamos durante horas em um ensaio da Escola de Samba Rosas de Ouro, em plena quarta-feira. E ao final, ele me beijou. Desse dia em diante, nunca mais nos largamos. Superamos a distância, vencemos a ponte aérea Rio – São Paulo, lutamos pelo nosso amor e 3 meses depois ele me propôs casamento pela primeira vez. Eu, pé no chão, disse não.

Continuamos namorando e 2 anos depois estou eu, contando a nossa história:

Fui viajar a trabalho e voltei ao Brasil depois de 15 dias: exausta, angustiada de tanta saudade. Quando eu estava no saguão do aeroporto esperando que a minha mãe chegasse para me buscar, ele chegou de mansinho pelas costas e me beijou no ombro, de surpresa. Sem dizer uma única palavra ele me olhou, tirou o iPod do bolso, encaixou o fone na minha orelha e colocou a nossa música para tocar – Your Body is a Wonderland. Sem entender o que estava acontecendo e sem que eu pudesse reagir, percebi que as lágrimas já nos dominavam. Com as mãos trêmulas e quase sem conseguir segurar os papéis que carregava, ele parou na minha frente e me olhando firme foi passando, um a um, e em cada um dos papéis, construindo um pedaço da nossa história. Ao final da música, embalada por um misto de emoção, surpresa, amor, alegria e paixão, já sem conseguir me conter, sem fôlego e tremendo tanto quanto ele, eu li: “Casa comigo?”. Quando me dei conta, lembrei que estávamos no meio do saguão do Aeroporto Internacional de Guarulhos, com inúmeras pessoas ao redor nos olhando e emocionadas tanto quanto nós. Não pensei. O abracei forte e disse: “I do”.”

Gostaram?

Say I Do.

Comente este Post

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentários

  1. Lindíssima história !!!!

  2. Que história emocionante! Meus parabéns pelo noivado! Também fiquei noiva assim de surpresa e o Diego (meu noivo) ainda me deu, além das alianças mais lindas do mundo, esse anel solitário pra usar junto. To apaixonado pelo anel, olha que coisa fofa
    http://www.virtualjoias.com/anel-solitario/