will you marry me?

Casais, tudo bom?
O pedido de hoje está tão fofo, amei o jeito como a noiva conta toda a história tão apaixonada! Espero que gostem!
“Nossa história é como aquelas que a gente vê em filme e diz “isso nunca vai acontecer comigo”, mas no fundo a gente sonha com o dia em que seremos sorteados pra viver tal aventura surpreendente!
Eu e o Áquila somos jornalistas, ele de economia e eu de moda, comportamento, enfim… Áreas diferentes. Ele mora em Fortaleza e eu em Belém, e a possibilidade de nos esbarrarmos em alguma pauta era quase zero, ou apenas uma, o que foi o suficiente.
Em maio de 2012, fui escalada para uma pauta de tecnologia em São Paulo, um megaevento com imprensa do mundo inteiro. Sem que eu soubesse, o amor da minha vida também estava a caminho da pauta, escalado, por acaso, por uma pessoa que substituía a chefe dele. Chegando na Capital paulista, o transfer que me buscou perguntou se teria problema pegarmos outro jornalista antes de irmos para o hotel. Disse que não e lá seguimos para pegar… quem? O cara com o sorriso mais apaixonante.
Nos apresentamos e quando descobrimos a coincidência de sermos cearenses (sim, nasci em Fortaleza e minha família mora toda lá) o papo rendeu viu? Ele jurava que eu era assessora do evento até fazermos check-in no hotel. Acabamos ficando no mesmo andar e todos os dias ele ligava para me acordar para o café da manhã, além de ser minha companhia durante as coletivas. Foram quatro dias semeando uma amizade que mal sabíamos que nos levaria ao altar. Mesmos gostos, riso solto, sonhador. Eu não sabia explicar o que sentia quando estava perto dele, mas entendi tudo como um carinho e amizade. Até o dia de ir embora.
Na época, tanto ele como eu namorávamos, e seguimos para casa com aquela sensação de “quando será que vou sorrir desse jeito com alguém de novo?”. O voo dele era antes do meu e nos despedimos. Até que encontrei um bilhete na bolsa com uma letra que mal conseguia entender, mas que hoje consigo compreender o sentido de tudo. Era uma cartinha dele. Entre tudo o que estava escrito, o que mais marcou foi ele dizer que nunca tinha se encantado por alguém desse jeito e que poderia não ser naquele momento, mas um dia a gente voltaria a se encontrar. Dito e feito. Fiquei uma semana com aquilo entalado, mas não o respondi e deixei o tempo correr.
Mais de dois anos se passaram e durante esse período acompanhávamos nossas vidas através das redes sociais. Vibrava a cada premiação ou notícia boa na timeline dele, como quem fica feliz por alguém querido. Também recebia felicitações de aniversário no mês de abril, como quem recebe um abraço de quem mora longe. O tempo correu e em julho de 2014 voltamos a nos falar como dois velhos amigos. Ele teria uma pauta em Belém e pediu alguns contatos. Disse que o levaria até para tomar açaí com camarão. Daí em diante não deixamos de nos falar um só dia até hoje.
A pauta não rolou e a cada dia descobríamos mais afinidades. Era papo até altas horas da madrugada. Dessa vez estávamos solteiros, mas com viagem marcada para dois lados opostos: ele ia para Miami passar férias com a família e eu fazer intercâmbio de um mês em Londres. Tudo isso na mesma época (em agosto). Custamos a acreditar nessa história maluca de encontros e desencontros, que até então só acontecia nas telas do cinema. Mas não, era a nossa vida e a nossa história.
Voltando ao ponto, marcamos de nos encontrar pós férias, mas, por força do destino, tal encontro aconteceu antes e de um jeito muito louco e inesperado. Faltando alguns dias para ele embarcar para Miami, a conexão dele, que era em Manaus, foi alterada para onde? Isso mesmo: Belém! Agora olhem só. Com centenas de cidades, ele veio justo para minha. O fato é que ele teria apenas uma hora em solo paraense e foi aí que tudo fez sentido. No segundo encontro da vida, eu já sabia que era ele: o amor da minha vida. Na semana que ele iria chegar, fiquei louca, contei para as amigas e quando chegou o dia, logo depois do trabalho corri para encontrá-lo no aeroporto. Frio na barriga e coração batendo dentro e fora do peito. Um misto de ansiedade com saudade que eu não sabia bem como explicar. Enfim, nos encontramos no ponto combinado. Não teve nem “oi” antes dele me roubar um beijo que diria tudo. Foram os 60 minutos mais intensos da vida ali no aeroporto, o mesmo lugar que a gente faz ponte aérea há quase um ano.
O tempo esgotou, ele seguiu viagem e dias depois eu segui também. Não deixamos de nos falar um só dia e o sentimento de carinho, amizade e amor amadureceu com mais uma “distância” que nos foi imposta. Na volta para o Brasil, eu não pensava em outra coisa que não fosse ver o Áquila. O detalhe é que minha conexão de volta era por Fortaleza (outra grande surpresa da vida). Mas perdi vôo em Lisboa e trocaram a conexão. Quando o avisei, ele me enviou a foto de uma rosa vermelha que levaria para me encontrar no aeroporto. Senti o coração bater num novo compasso novamente. O tempo passou e na volta pra casa não demorou muito para a gente marcar um fim de semana no Cumbuco, uma praia linda que fica pertinho de Fortaleza. Faltava um mês para a viagem e antes disso, fui pedida em namoro por telefone e disse sim pela primeira vez para ele.
Até então, não entendia como alguém que vi apenas cinco dias poderia despertar um sentimento tão absurdo de lindo. A gente chegou a conclusão que era a vida sendo a vida. No fim das contas, parei de perguntar o por que de tudo e fui curtir o fim de semana com meu namorado, que nem conhecia direito, mas que já parecia ser coisa de outras vidas. Naquela viagem, aliás, quando tínhamos menos de duas semanas de namoro, ele olhou nos meus olhos e disse: “um dia eu vou te levar ao altar”. E eu acreditei.
Foram seis meses de namoro e em nossas famílias a sensação era sempre a mesma: da gente se sentir em casa e que nasceu pra viver tudo isso. Falávamos de casamento com frequência e a vontade de encurtar a distância só aumentava com o passar o tempo. Digo para ele que foram seis anos em seis meses, isso com a mesma intensidade e o frio na barriga do beijo roubado no aeroporto. Ele me conquista todos os dias e é tão feito pra mim. Eu, Deus e o mundo sabíamos que o pedido aconteceria, e meu coração dizia que não demoraria muito. Ele é tão urgente quanto eu, tem uma pressa danada de viver e a nossa história não poderia ser diferente.
Até que no último dia 25 de abril (meu aniversário de 24 anos), meus sogros vieram pela primeira vez em Belém conhecer meus pais. Já estava tudo armado sem que eu desconfiasse de nada. A festa estava linda, colorida e cheia de gente que nos ama. Em determinado momento, quando todos já haviam chegado, ele me puxou em um canto e me entregou uma caixinha. Chorei antes de abrir e descobri um pendrive com um bilhete dizendo “me assista”. Era um vídeo com todos os meus familiares, primos, avós e bizavós de Fortaleza, além de amigos de Belém, meus pais, irmãos e sobrinhos me desejando feliz aniversário. Eu jurava que acabaria ali, até porque não sabia se meu coraçãozinho sobreviveria a mais emoções. Mas sobreviveu.
O meu então namorado terminou o vídeo com uma declaração linda e disse que estava me esperando lá fora. Corri e vi o meu menino se vestir de príncipe, romântico e apaixonado como nos contos de fadas que eu sonhei para minha vida. Ele estava vermelho, nervoso e segurava plaquinhas com milhões de declarações, até que na última li a pergunta que toda mulher sonha: “você aceita se casar comigo?”. Com ele ajoelhado e um solitário numa caixinha, olhei para trás e avistei as pessoas mais importantes das nossas vidas emocionadas e cúmplices de tudo aquilo. Chorava de felicidade e pensava em tudo que nos levou até ali. Pensei em como a vida pode ser surpreendente e quão sortuda eu era por estar ali, exatamente ali, vivendo um sonho.
Quando consegui falar, disse mil vezes sim para o homem da minha vida. Sim para o conto de fadas. Sim para os encontros, para o destino, para a ponte aérea, para a felicidade, para nossa vida juntos. Enfim noivos e agora estamos vivendo a melhor fase deste momento: escolher os detalhes da festa (que são muuuuitos), especialmente pela missão desafiadora que é organizar um casamento de longe (será em Fortaleza), planejar nossa casinha nos mínimos detalhes, o destino da lua de mel e tudo o que sempre sonhamos. A moral da história é que distância é detalhe, saudade a gente encurta e quando as coisas tem que acontecer, elas acontecem. Na hora certa. Topar viver essa aventura foi o passo mais acertado que dei na vida”. 
O pedido!
O pedido e a comemoração com amigos e familiares! (1)
Gostaram?
Say I Do.

Casamento Priscila & João

Casais!

O casório de hoje foi lindo – tô in love pela decor ! Quem me enviou as fotos foi a Ana Lauand , minha amiga querida que fez a assessoria desse dia tão especial!!

Eu e o João namoramos há 10 anos! Nos conhecemos no dia 15 de julho de 2005 em São Paulo, em uma festa no bairro de Higienópolis, na casa de amigos em comum de São José do Rio Preto (o João é de Rio Preto, mas veio fazer faculdade aqui em São Paulo, e eu também tenho família lá). Eu tinha 15 anos e o João, 21!

Na festa, começamos a conversar e logo identificamos um monte de coincidências que ajudaram nos aproximaram cada vez mais: o João faz aniversário dia 26 de julho e eu, dia 27; além disso, descobrimos que morávamos em prédios vizinhos no bairro de Moema. Chegando o dia dos nossos aniversários, o João me convidou para comemorarmos a data juntos e desde então nunca mais nos desgrudamos.

O pedido de casamento veio em 2013, após 8 anos de namoro. O João ia me levar para uma “viagem surpresa” para Miami no feriado do dia 9 de Julho, mas no fim não foi tão surpresa, porque fui sem graça e de tão ansiosa acabei descobrindo o destino rsrs. Mesmo assim, a viagem não deixou de ser super especial. Ele tinha preparado por lá um monte de surpresas que eu nem imaginava! O pedido foi em um jantar de frente para o mar com um pôr do sol inesquecível – só sei que eu não conseguia dizer sim, só chorava! Hahaha

Logo que voltamos, mergulhei nos preparativos para o casamento! Foi 1 ano e meio de preparativos, tudo com a ajuda da minha querida prima Ana Lauand, que na época trabalhava no Buffet Lepolldo e hoje em dia arrasa como assessora, me ajudando em toda a organização e em cada detalhe! Não tenho palavras para agradecê-la.

 Sempre sonhei em me casar na Nossa Senhora do Brasil e o que nos ajudou a decidir por esta igreja é que lá eles permitem que a família leve um “padre convidado” para também celebrar o casamento. Assim, pudemos chamar o Frei Mauro de Rio Preto, que celebrou todos os casamentos e batizados da família do João. Depois da igreja reservada, o Buffet também era outro assunto que também não tínhamos dúvidas, ainda mais com a Aninha no comando, o Leopolldo sempre nos encantou, um lugar clássico, atemporal, com comida e atendimento impecáveis.

A decoração ficou sob o comando do André Pedrotti e toda a sua equipe maravilhosa! Eles arrasam. Queria que a decoração lembrasse um jardim, nos tons de branco, verde e um leve toque de azul… o azul queria que fosse por causa da minha flor preferida: hortênsia azul. O André e o Edu me alertaram que seria difícil conseguir as hortênsias azuis para o casamento, já que era em março e não era época para este tipo de flor… mas mesmo assim, para minha surpresa, eles deram um jeito e no dia do casamento tinham hortênsias azuis espalhadas em todos os cantos do salão para a minha felicidade! Ficou maravilhoso e muito além do que eu esperava!

Outro ponto alto da decoração foi a Nossa Senhora das Graças que ficou bem na entrada da festa, coberta por um manto de pérolas, feita pela minha sogra especialmente para o casamento! Sou devota, não desgrudo da minha medalha milagrosa!

As meninas super talentosas da Piece of Cake fizeram o bolo do jeitinho que sempre quis também, seguindo a linha da decoração da festa com as famosas hortênsias azuis rsrs… os docinhos também eram da Pati Piva, Danielle Andrade, Louzieh e os bem-casados, da Conceição.

A atração principal era outro item que também não tínhamos dúvidas. Desde que vimos a Banda SOS tocar no casamento da Aninha tínhamos a certeza de que  eles tocariam no nosso casamento. Sem dúvida, são os melhores! Chamamos o DJ Tigre e sua equipe com violinista de Ribeirão Preto para tocar e eles foram super queridos e atenciosos. Como o João é corinthiano roxo, resolvi fazer uma surpresa para ele chamando a Gaviões da Fiel para tocar no final da festa e foi muito legal, todo mundo se divertiu horrores e ele amou!

O meu vestido foi da querida Dani Messih e ficou muito mais lindo do que eu sempre imaginei! Fui em alguns ateliês famosos antes de chegar no dela e nunca saia 100% realizada com o que via, até que quando conheci a Dani fiquei encantada com o seu trabalho, suas rendas e sua simpatia. A Dani soube identificar exatamente o que eu sempre quis.

As fotos ficaram com a Flávia Vitória e o vídeo foi do Vicente Piserni, os dois escolhemos sem conhecer outros profissionais, quando a Aninha nos falou deles e vimos o trabalho dos dois, adoramos e nem tivemos dúvidas….

Mesmo com toda a assessoria, como a Aninha era nossa madrinha, as queridas meninas da Toda de Branco foram responsáveis por executar o planejamento do cerimonial do dia.

Hoje vejo como foi importante e do quão indispensável é a contratação de uma assessoria com experiência, com boa relação com excelentes fornecedores e de confiança para a realização do dia mais feliz que já vivemos até agora. Pena que passa tão rápido, já estou com saudades! Mas vale muito a pena…

Por fim, também não tenho palavras para agradecer minha mãe e minha sogra e me apoiaram em todas as “invenções de noiva” rsrs e me me ajudaram com toda a correria e preparativos!”

0055

0114

0159

0264

0303

0317

0367

0412

0694

0900

0966

1081

1106

1109

1746

1751

1755

Olha que lindo!!

1759

1763

1766

1769

1770

1773

1790

1793

1795

Essa mesa de doces não estava maravilhosa???

1801

1808

1824

Gostaram?

Eu amei!!

Say I do.

sos casadas: chá da tarde com as amigas

Casais, tudo bom?

O tema hoje é um que eu considero super importante, as amigas! Na época de escola a gente passa horas e horas com elas. Na faculdade, isso diminui por causa dos estudos e o estágio ou trabalho. Quando você começa a construir uma família, parece impossível ter um tempinho para encontrá-las, não é? Mas às vezes surge um espaço na sua agenda que bate com a delas e dá certo aquela tarde de conversa em casa. E para estar sempre preparada para recebê-las – seja para falar sobre os preparativos do grande dia ou para só para jogar conversa fora, o Pontofrio.com trouxe inspirações e ideias para você sempre estar preparada para quando uma delas conseguir dar uma passadinha na sua casa!

No Pontofrio.com você encontra mais de 200 mil produtos para incluir na sua Lista de Casamento. A cada presente que ganhou, você pode escolher entre recebê-los em casa ou convertê-los em crédito para fazer novas compras no site. Além disso, para facilitar na hora de adicionar seus produtos à lista de casamento, o site do Pontofrio montou listas sugestivas separadas por estilo dos noivos e por ambientes.

Confira as peças da Lista de Casamento do Pontofrio.com e veja os produtos abaixo:

Batedeira planetária Kenwood

Daniel Pereira

Conjunto pratos Oxford – AMEI!!!

Conjunto-de-Pratos-para-Sobremesa-Oxford-Daily-20-CM-em-Ceramica-JM18-6750---6-Pecas_0

Xícaras de chá Oxford

xícaras-chá-oxford-preta

Prato para bolo Forma Andrea

Designer/Fotógrafa

Manteigueira Brinox

mantegueira-inox-brinox

Potes para geleia Forma Andrea

   potes-geleia

Gostaram?

Já aproveitem pra convidar as amigas e botar o papo em dia!

Say I Do.