Combinações para usar com a aliança

Casais, tudo bom?

Na minha opinião, a aliança de noivado é muito mais que um acessório, é uma joia que representa a celebração do amor, carinho, respeito e cumplicidade do casal. Por ser uma peça tão importante, pode ser uma tarefa difícil encontrar anéis para usar junto com a aliança e fazer uma combinação bonita e sofisticada na mão.

Claro que não tem regras, mas para um anel ser usado junto com a aliança tem que ter uma harmonia com a peça e, ao mesmo tempo, não tirar a “importância” do anel de noivado.

Para combinações perfeitas, escolha metais similares, como uma aliança de noivado em ouro 18k ao lado de um acessório no mesmo teor dificilmente vai ter danos ao longo do tempo. A dica é manter a harmonia de estilos e também é sempre uma boa combinar as cores dos diamantes com as mesmas gemas em cada anel.

Já alianças em ouro amarelo, podem ser usadas com anéis em outro tom de ouro. Nesse caso, a composição, além de elegante, valoriza as peças e dá um toque de requinte. Sem medo de misturar ouro amarelo, rose ou branco.

Selecionei em parceria com a VIVARA, algumas opções de anéis e alianças da marca que formam ótimas combinações:

_DSC3712_20 _DSC3830_19 _DSC3834_19 _DSC3905_21 _DSC3914_17 _DSC5834_azul _DSC5834_Vermelho _DSC6675_23 _DSC6679_22 AN00043737 AN00048506 AN00048669 anel_1 anel_3 anel_4 DSC_13707 DSC_13757 Img0197__V Img0204 solitario4

Gostaram?

Eu amei e quero todos!

Say I Do.

will you marry me?

Casais, tudo bom?

Espero que gostem do pedido de hoje!

“Conheci o Dani em agosto de 2011 quando começamos a fazer pós-graduação juntos. Ele diz que foi amor à primeira vista, mas acho que só fui notar a presença dele algumas semanas depois. Ele é uma pessoa extremamente extrovertida e comunicativa e então começamos a conversar cada vez mais, e nós tornamos amigos. Todos os nossos colegas e até professores brincavam que ele estava “interessado” e eu dizia que não tinha nada a ver, que éramos apenas amigos. Até que um dia misteriosamente, ao chegar em casa abro a minha bolsa e lá está 2 convites para o show do Tears for Fears e um bilhetinho dele com os dizeres: “Mari, se você for vai ser mais especial, vamos juntos?”. Na hora eu gelei, pois já sabia que minha resposta era não, mas eu não queria perder a amizade dele. Então devolvi os ingressos, agradeci e disse que não iria. Depois disso ele me chamava para algum programa toda semana, e eu sempre recusando. Fomos almoçar um dia, como amigos, e depois saímos para jantar, também como amigos. Nada rolou nestes dois encontros. Até que veio as férias e ele foi para a Europa com alguns amigos, e um dia ele me liga de lá, dizendo que estava em Bruxelas, pensando em mim e que um dia ele ainda iria me levar até esta cidade que ele ama (ok, achei que ele estava delirando e apenas fiquei rindo).

Após as férias, exatamente no dia em que as aulas recomeçaram ele me aparece com o seguinte convite: “Mari vamos para o Chile na semana santa?” Eu não entendi nada, achei ele mais louco ainda e disse não! Imagina se eu iria viajar com um amigo (que era o que ele era para mim) interessado em mim…

De tanto que achei essa insistência dele uma loucura, contei toda a história para uma amiga, ela me aconselhou a dar uma chance, já que ele insistia tanto… E então saímos para jantar, e foi quando aconteceu o 1º beijo: que foi horrível! Kkkkk. Fomos ao cinema no outro dia (pra tirar a prova), e também não foi como eu imaginava. Daí passei a “fugir” dele, e contei para uma amiga em comum nossa que “não tinha rolado química”, e ela contou exatamente estas palavras para ele. Resumindo, continuamos amigos, o tempo passou e em um dia de maio de 2012 eu o convidei para jogar sinuca e sabe o que aconteceu?! Ele disse não! Eu o chamei novamente no outro dia e ele de novo me deu outro fora. Incrível, mas acho que aí mudou alguma coisa. Passaram alguns dias, marcamos de sair novamente, e o 2º primeiro beijo aconteceu, e foi ótimo! O melhor beijo da minha vida!!. Começamos a namorar no dia 03/06/12 e ele contou aos colegas de trabalho que a menina que não rolou química agora era a namorada dele. Ah, e  ele cumpriu a sua promessa, me levou a Bruxelas.

O Dani tinha verdadeiro pavor de casar, e eu cheguei a ter certeza de que nunca daríamos um passo para a construção de uma vida a dois. Tivemos uma fase ruim, até que em março de 2015 resolvemos dar um tempo no relacionamento, e após 3 meses separados, as arestas ajustadas e uma conversa franca, voltamos a namorar. Ele começou a falar de casamento e então passamos a fazer planos. Marcamos uma data e até aí tudo bem, mas e o pedido?

Eu disse que fazia questão de um pedido e que tinha que ter um anel de noivado. Ele começou a fazer perguntas sobre como teria que ser o pedido, o anel etc. Então falei com ele sobre a Ana Tomich, uma design de joias aqui de BH e que eu adoro, as joias dela são lindas e exclusivas. Mas achei que ele nem estava planejando nada.

Adoramos viajar, e pensando bem, não haveria um momento mais adequado do que este. Fomos para Republica Dominicana e no dia em que fazíamos 4 anos juntos, 03/06/16, após um dia normal, em que ele disse não ter comprado nenhum presentinho de comemoração, após o jantar ele dá um sumiço dizendo que ia ao banheiro e volta todos nervoso com taças na mão e um discurso lindo, dizendo que não havia dúvidas sobre o que ele sentia e queria, e que ele não ia deixar aquela data passar em branco. Então ele tira a caixinha do anel, e fica me olhando esperando uma reação minha. Eu achei tudo lindo e fiquei meio sem acreditar até que falei com ele: “Mas você não fez a pergunta!” E ai, ele todo bonitinho perguntou se eu queria casar com ele e é lógico que a resposta foi sim!

Depois do pedido ele me contou como entrou em contato com a Ana Tomich  e como foi a escolha do anel, com pedra azul igual eu queria (agora eu já tenho “something blue” para o casamento)!! Foi tudo lindo e especial e que agora venho 2018!”

Image-3.png

Image-2.png

Gostaram?

Say I Do.